Quadrimembração

ROSAS LINDAS

por Maristela Porto

O quarto e último membro é a organização do eu.

A organização do Eu é exclusiva e  deve dominar os princípios anímicos e os instintos para o desenvolvimento da vida interior: consciência de si, autorreflexão e habilidade para modelar o destino individual.

O andar ereto, o falar e o pensar são qualidades da organização do eu.

Para a antroposofia, isso é de tal importância que torna o ser humano tão diferente dos animais quanto estes dos vegetais e estes, por sua vez, dos minerais.

A medicina hipocrática, resgatada pela medicina Antroposófica, considerava quatro humores ou forças básicas no ser humano:

– A bile negra, ligada ao temperamento melancólico, aos pulmões e ao elemento terra (organização física);

– A fleuma, ligada ao temperamento fleumático, ao fígado e ao elemento água (organização vital);

– O sangue, ligado ao temperamento sanguíneo, aos rins e ao elemento ar (organização anímica);

– A bile amarela, ligada ao temperamento colérico, ao coração e ao elemento fogo (organização do eu).

continua…

Anúncios

ANTROPOSOFIA e o SER HUMANO

Ipe roxo lindo

por Maristela Porto

A Antroposofia possui em seu diagnostico para uso da terapêutica o conhecimento sobre duas constituições básicas no ser humano: estruturas constitucionais básicas=  uma tríplice e outra quádrupla.

É com o conhecimento sobre a quadrimembração humana que se observa o equilíbrio da saúde.

O corpo físico humano é constituído de substancias inorgânicas do reino mineral. A força vital é o ponto principal da organização vital do corpo.

A organização vital domina o inorgânico para o desenvolvimento da vida vegetativa. É de sua competência o crescimento, a reprodução celular, o anabolismo, a regeneração e a cicatrização.

O ser humano tem em comum com o reino vegetal a caracterização dos ritmos orgânicos, a memória, a adaptabilidade e a sensação de bem estar.

Estas são qualidades da organização vital.

Tem como suporte material – a água – única substância sem a qual não há vida, no sentido biológico da palavra.

A alma ou a organização anímica (do latim anima, “alma”, “animalidade”), o ser humano tem em comum com o reino animal onde ordena os processos vitais.

É a sensibilidade, a dualidade simpatia-antipatia, os instintos e o psiquismo.

O desgaste são forças ligadas da organização da alma.

As forças do movimento, também.

Existe, portanto, uma luta de opostos complementares entre as organizações vital e anímica, uma que promove o crescimento e a vitalização, e outra que desgasta a vitalidade e dá consciência…

Portanto, nosso organismo “sabe” quando há o desgaste e contribui com a força do movimento para que haja equilíbrio na nossa vida.

O DUPLO EGOISMO

SÃO MIGUEL ARCANJO

Como nos comportamos com nosso altruísmo e religiosidade…tem uma frase de Santo Agostinho que diz: se soubessemos como é bom ser bom, seriamos bons só por egoísmo…tire suas próprias conclusões.

“Não é o suficiente para nós simplesmente introduzir ideias como as de reencarnação e karma – a questão é: a forma como nós as introduzimos.

Se eles se tornarem meramente um incentivo ao egoísmo, então elas não elevam a nossa vida civilizada, eles servem apenas para deprecia-la mais.

Há outra maneira na qual a reencarnação e karma tornam-se ideias antiéticas. Muitas pessoas dizem: “Eu devo ser bom, para que eu possa ter uma encarnação afortunada da próxima vez.”

Para agir com tal motivo, ser virtuoso, a fim de que se possa ter uma vivência mais agradável na próxima encarnação – não é um egoísmo simples, mas um duplo egoísmo.

No entanto, este duplo egoísmo é o que tira muitas pessoas da verdadeira ideia de reencarnação e karma.

Nossa civilização possui tão pouco impulso altruísta ou de religiosidade, que é incapaz de conceber até mesmo idéias como as de reencarnação e karma no sentido de que seria um estímulo para o altruísmo, não para as ações e sentimentos egoístas.”

Rudolf Steiner

MELINDRES

por Maristela Porto

staphysagria1Staphysagria (planta que se faz remedio homeopatico para pessoas que não aceitam a magoa e ferimentos causados por outrem, sofrem muito …é o sentimento de “EU NÃO MEREÇO ISSO”…

Ressentimento é uma mágoa crônica. Na verdade, a palavra ressentir quer dizer “deixar-se sentir novamente” ou ” voltar-se ao sentimento passado”.

As criaturas suscetíveis às ofensas são aquelas que guardam rancor facilmente, remoendo o insulto e intensificando os efeitos debilitantes do ressentimento e da raiva.

Quando estamos melindrados, experimentamos sucessivas vezes o mesmo sofrimento. Isso nos consome energeticamente e debilita nosso corpo físico e/ou o espiritual.

Perdoar é um ato de amor, em que reina a compreensão e a humildade.

É um indício do amor a nós mesmos e aos outros.

O que significa perdão? é quando relembramos algo ou alguém que nos machucou e “aquele sentimento antigo ou aquela situação” não nos faz mais sofrer.

Admitir que também erramos e admitir a falibilidade humana. reconhecendo nossas deficiências e nossa facilidade em errar.

Perdoamos na medida em que desfazemos a ilusão de que somos perfeitos.

Sabemos que nosso grau de conhecimento é resultante de nossa participação e interação nos processos do Universo.